Quem são os Orixás?



Na mitologia iorubá, Orixás são ancestrais divinizados africanos que correspondem a pontos de força da Natureza e os seus arquétipos estão relacionados às manifestações dessas forças. Estes deuses da Natureza são divididos em 4 (quatro) elementos – água, terra, fogo e ar.

Os Orixás são, essencialmente, essas energias encontradas tanto na natureza como dentro do corpo do próprio ser humano. O Orixá, diferente do espírito em evolução, está essencialmente dentro do indivíduo, além de estar presente em toda a natureza.

As características de cada Orixá aproxima-os dos seres humanos e cada um deles tem seu sistema simbólico particular composto de cores, comidas, cantigas, rezas, ambientes, espaços físicos e até horários.

O Orixá é “o senhor de nossa cabeça” e, quando manifestado em seus filhos, comemoram a vida dentro do corpo e sua comunicação se dá por meio de sinais ou sons. Portanto, o estado de transe mediúnico ocorre quando essa energia aflora no corpo de seu filho a fim de mostrar, através de suas danças, qual é a sua função cinética na natureza em termos de vida e de movimento.

Como resultado do sincretismo que se deu durante o período da escravatura, cada Orixá foi também associado a um santo católico, devido à imposição do catolicismo aos negros. Para manterem os seus Orixás vivos, viram-se obrigados a disfarçá-los na roupagem dos santos católicos, aos quais cultuavam apenas aparentemente.

Classificação – Orixá de frente, Adjunto (juntó) e ancestral

Orixá de frente, também conhecido como Orixás de Cabeça, é aquele que rege a atual encarnação do ser e o conduz numa direção no qual o ser absorverá sua qualidade e a incorporará às suas faculdades. Nos dá a energia necessária para as dificuldades que vamos passar nessa vida atual.

Orixá Adjunto ou Juntó, é aquele que forma par com o Orixá de frente, apassivando ou estimulando o ser, sempre visando ao seu equilíbrio íntimo e crescimento interno permanente. Quando exageramos a energia do orixá da frente, vem este para equilibrar.

Orixá Ancestral, que está ligado à nossa ancestralidade. Orixá com o qual nossa alma teve contato pela primeira vez e sua energia ficará ligada ao espírito na sua matriz.

Aqui é importante acrescentar que não existe verdade absoluta e que algumas casas de axé podem ter conceitos diferentes, a depender da casa, do culto, da nação etc. O que não devemos deixar de esquecer é de respeitar a liberdade religiosa de cada pessoa.

OS ORIXÁS E O CORPO HUMANO

Os Orixás são, essencialmente, essas energias encontradas tanto na natureza como dentro do corpo do próprio ser humano. O Orixá, diferente do espírito em evolução, está essencialmente dentro do indivíduo, além de estar presente em toda a natureza.

Vejamos agora, a partir do que foi passado por Sultão das Matas, no Águas de Aruanda, em que parte do corpo cada orixá está presente:

Exu no nosso coração; Ogum olhos; Ossain na nossa alma; Oxóssi nos ouvidos e nariz; Omolu nos nas plantas dos pés; Logun-Edé nos órgãos excretores; Oxumaré nas vísceras; Tempo nos tímpanos; Xangô na boca, Iansã na língua; Oxum nas lágrimas; Iemanjá no suor; Obá no sangue, Ewá na medula óssea – nascimento de novas células; Nanã nas células mortas trocadas diariamente na pele; Ibejis mãos e pés; Oxaguiã e Oxalufan nos pulmões.

Vamos agora conhecer um pouco dos 18 principais orixás cultuados no Brasil.

EXU

É o orixá da comunicação, guardião das aldeias, cidades, casas e do axé. A palavra Èșù em yorubá significa “esfera” (aquilo que é infinito, que não tem começo nem fim) e, na verdade, Exu é o orixá do movimento.

Ele é o “mensageiro”, recebe e leva os pedidos e as oferendas dos seres humanos ao Orum, o céu. É o Senhor dos caminhos, das encruzilhadas, da entrada e da saída. É o movimento inicial e dinâmico que leva à propulsão, ao crescimento e à multiplicação.

Os filhos de Exu são alegres, sorridentes, estão sempre de bem com a vida, extrovertidos e atentos. Adoram movimento.

Aspectos Gerais

Dia: segunda-feira

Elementos: Terra, Fogo.

Sincretismo: Santo Antônio

Saudação: Laroiê, Exu!

OGUM

É senhor das estradas e dos caminhos. É o senhor do ferro e dos metais, das ferramentas e da tecnologia. É o trono regente das milícias celestes, guardiãs dos procedimentos dos seres em todos os sentidos. É sinônimo de lei e ordem e atua na ordenação dos processos e dos procedimentos.

Os filhos de Ogum são líderes leais e corretos. São pessoas batalhadoras que não medem esforços para atingir seus objetivos. Mostram-se líderes natos e corajosos para enfrentar qualquer missão. Seu temperamento agitado, impaciente e rebelde é notado desde a infância, mas, como não depende de ninguém para vencer suas dificuldades, com o crescimento vai se libertando e acomodando-se às suas necessidades.

Aspectos Gerais

Dia: Terça-feira.

Elemento: terra.

Sincretismo: São Jorge (23/04) ou Santo Antônio (13/06).

Saudação: “Ogunhê!”

OXÓSSI

Oxóssi é o senhor das matas e dos caboclos. É o orixá da caça, guardião das florestas. É o orixá que dá sustento ao corpo através dos alimentos. É caçador de almas e de homens e sua busca visa o conhecimento. Atua no bem-estar físico e espiritual dos seres humanos.

Os filhos de Oxóssi são grandes conselheiros, incapazes de negar qualquer ajuda a alguém. São calmos, alegres, joviais, amorosos, encantadores, místicos e intuitivos. Amam a liberdade e a natureza. Como são pensadores independentes, têm dificuldade em aceitar opiniões diferentes das suas.

Aspectos Gerais

Dia: quinta-feira.

Elemento: terra.

Sincretismo: São Sebastião (20/01).

Saudação: “Okê Arô - Okê Caboclo”

OSSAIN

Ossain é guardião das folhas, que por meio delas pode realizar curas e milagres, trazer progresso e riqueza. É nas folhas que está a cura para todas as doenças do corpo ou do espírito (Kó si ewé, kó sí Òrìsà, ou seja, sem folhas não há orixá).

A morada de Ossain é a floresta. Por ser o senhor da cura e da medicina, dono dos segredos da natureza, é o patrono dos profissionais que trabalham na área da saúde ou que usam plantas para fins curativos.

Os filhos de Ossain são pessoas simpáticas, calmas, reservadas, discretas, engraçadas, alegres e obstinadas. Quando querem, vão e fazem. Extremamente equilibrados, não permitem que suas empatias interfiram em sua opinião sobre os outros. Embora estudiosos e sonhadores, não possuem grandes ambições.

Aspectos Gerais

Dia: quinta-feira.

Elemento: terra.

Sincretismo: São Benedito (05 de outubro).

Saudação: Ewé, ewé, assa!

OXUMARÊ

É o orixá do movimento, dos processos, dos ciclos. Representa o ciclo da vida, porque é da união entre masculino e feminino que a vida é gerada. Ele exprime a união de opostos, que se atraem e proporcionam a manutenção do universo e da vida. Mostra a necessidade do movimento da transformação. É o orixá da riqueza e da fortuna, representado pela a cobra e o arco-íris.

É a divindade dos opostos porque tem domínio sobre os ciclos da vida. Controla as chuvas e as secas, a noite e o dia, a lua e o sol, o bem e o mal, a vida e a morte, o macho e a fêmea, a saúde e a doença, o material e o imaterial, o céu e a terra etc.

Os filhos deste orixá tem temperamento fácil, tendem à renovação e à mudança. São pessoas pacientes e obstinadas na luta pelos seus objetivos e não medem sacrifícios para alcançá-los. A dualidade do orixá também se manifesta nos seus filhos, principalmente no que se refere às guinadas que dão nas suas vidas, indo de um extremo a outro sem a menor dificuldade. Mudam de repente da água para o vinho.

Aspectos Gerais

Dia: terça-feira

Elemento: terra, ar

Sincretismo: São Bartolomeu (24 de agosto)

Saudação: Aho bo boy!

OMOLU

Também conhecido como Obaluaiê, é Orixá da renovação dos espíritos, senhor dos mortos e regente dos cemitérios. É ainda reconhecido carinhosamente como “médico dos pobres”, por trazer o alívio às dores dos seres humanos. Conhecido também como “Senhor das Passagens”.

Agente da misericórdia, ainda leva o amor divino, a guarida e proteção a todos aqueles seres que caíram, pelas suas impetuosidades, impulsividades, egoísmos e vicissitudes, para que todos esses filhos caídos possam retornar novamente à trilha do progresso.

Os filhos de Omolu são geralmente pessoas muito reservadas, calmas, pacatas, que possuem uma existência sóbria, capazes de se abster da própria vida em prol de outros. São sinceras, inteligentes, excelentes alunos da vida, bons observadores e assimilam com facilidade tudo que veem. Não se esquecem das mágoas sofridas e reprimidas, mas não fazem disso um vale de lágrimas.

Aspectos Gerais

Dia: Segunda-feira

Elemento: terra e fogo do interior da terra

Sincretismo: São Roque (16/08) ou São Lázaro (17/12)

Saudação: Atotô!

XANGÔ

Xangô é o orixá da justiça, dos raios, do trovão e do fogo e seu campo de atuação preferencial é a razão, despertando nas pessoas o senso do equilíbrio e da equidade. Xangô é sabedoria, amor e respeito à vida. Ele é o poder transformador do fogo que dá ânimo para nossa vida, queimando e destruindo tudo que é ruim. Ele é dinamismo, é equilíbrio cármico.

Os filhos de Xangô são pessoas confiáveis, benevolentes, diplomáticas, críticas, exigentes e rigorosas. São líderes por natureza, justos, honestos e equilibrados. Mesmo sabendo ouvir, gostam de dar a última palavra.

Aspectos Gerais

Dia: quarta-feira.

Elemento: fogo.

Sincretismo: São João (24 de junho) São Jerônimo (30 de setembro).

Saudação: Kaô Kabiesilê!

LOGUN ÉDÉ

Apresenta-se na mitologia como filho de Oxóssi e Oxum. Logun é o ponto de encontro entre os rios e as florestas, as barrancas, beiras de rios, e também o vapor fino sobre as lagoas, que se espalha nos dias quentes pelas florestas. É considerado um orixá “metameta” por confluir as características de Oxum e Oxóssi.

Seus filhos são pessoas agradáveis e educadas. Sensíveis, inteligentes, com raciocínio rápido, “pescam” as coisas no ar. Possuem grande sensibilidade a tudo que é belo; gostam muito de objetos de arte.

Aspectos Gerais

Dia: quinta-feira;

Elemento: Terra (floresta) e Água (de rios e cachoeiras);

Sincretismo: Santo Expedito (19 de abril);

Saudação: Loci loci, Logun!

]TEMPO OU IROKO

É o orixá das florestas, das árvores, dos espaços abertos. Governa o tempo em seus múltiplos aspectos. É implacável. Age nas mudanças climáticas e nas variações do tempo. Acompanha e cobra o cumprimento do carma de cada um de nós, determinando o início e o fim de tudo. É um orixá raro, de poucos filhos.

<